06/04/2007


Nossa homenagem para a Lara


Hoje, dia 6 de abril a Lara (integrante do grupo PedalEco Brasil) faz seu 1º aniversário, e como presente fizemos a coisa que ela mais gosta: brincar e correr na praia, deixamos ela se esfregar nas carniças de peixe, jogamos a bola para o alto para longe e até fizemos uma homenagem a ela com conchinhas, ela merece!!!

A Lara desde o início da nossa viagem foi um ponto crítico, será que levamos ela? Será que a gente aguenta? Será que ela aguenta? Gastamos uma nota em Guia de Transporte, remédio para pulgas, caixinha de transporte, poltrona a mais no ônibus. A maioria das pessoas que conhecia nossa história na hora que ouvia da Lara diziam: Vocês são loucos!!! Se somos não sei, só sei que está dando certo, ela vai muito bem, obrigado. Adora viajar no carrinho, até agora a pior parte foi a volta do Chuí para cá, pois a gente teve que levar ela no alforje, mas mesmo assim ela reagiu bem.

A Lara tirando um bode



Essa história não ficou muito clara, e o pessoal tem perguntado. Para ir para o Chuí nós fomos pela praia (240km de areias ininterruptas, inacreditável!) e quem já fez essa viagem disse que tinha uma parte, o tal dos concheiros, que dependendo do dia a areia era tão fofa e tinha tanta concha solta que era praticamente impossível pedalar. Na dúvida de se atolar ou não optamos fazer esse trecho da viagem sem o carrinho. Acabamos que aprendemos uma lição, sem o carrinho NUNCA MAIS!!

Ontem fomos na Festa do Mar dar aquela palestra, foi no Museu Náutico de Rio Grande e a sala de palestra é o interior de um barco, mais precisamente o casco, muito louco. O museu é lindo, existem amostras de diversos tipos de embarcações tradicionais. Todos recolhidos da praia e posteriormente reformados.


Eu loquiando e o Museu Náutico em baixo

Não tivemos muitos ouvintes durante a palestra, mas quem assistiu estava atento. O que mais me deixou feliz é que bem no cantinho, meio escondida, tinha uma senhora da limpeza ouvindo com atenção tudo o que eu dizia. No final da palestra até fui a ela agradecer a atenção e ela disse que achou muito lindo tudo! Fiquei muito feliz mesmo, por esse tipo de coisa é uma sementinha que foi plantada e que se for bem cuidada, vai brotar e produzir um montão de frutos e é esse tipo de coisa que a gente quer que aconteça.

Cleverson tentando avistar.... uma cerveja!!

Depois da palestra a gente deu uma volta pela festa, vimos muita coisa interessante, visitamos barcos da marinha, o museu do porto de Rio Grande, vimos umas cordas super resistentes usada para ancorar as plataformas petrolíferas da Petrobras no fundo do oceano. Tecnologia de ponta! E brasileira!


Deborah, Cleverson e o barco de pesquisa da FURG

Vimos uma maquete de uma ilha demais de doida, na verdade um arquipélago chamado São Pedro e São Paulo que fica afastada da costa cerca de 1010 Km, três dias de viagem de barco para chegar. Lá existe uma base permanente de pesquisa. A ilha é uma pontinha de uma montanha oceânica submersa de cerca de 4000 metros de altura. Trata-se de um caso raro no planeta, onde houve uma formação natural de ilhas a partir de uma falha tectônica. Desprovida de vegetação, sem fonte de água doce, cercada de uma rica biodiversidade, cientista se revesam a cada 15 dias para fazer suas pesquisas. Toda energia é solar, a água vem de um dessalinisador, os eletrodomésticos tem que ser trocado a cada 6 meses por causa da maresia ou seja uma verdadeira loucura :)

A gente tinha que ficar esperando nossa carona que estava assistindo um espetáculo da "Terça Insana", acabou que no finalzinho a gente conseguiu entrar (sem pagar) e assistir algumas maquetes. Voltamos para o Cassino e ainda fomos beber uma cervejinha no Laru´s, um barzinho que tem por aqui.

As coisas cada dia ficam melhores, estamos nos acostumando com essa vida de não ter uma casa nossa, na verdade a barraca é nossa casa, nosso cantinho de sossego e já está bom, estamos aprendendo a controlar nossos impulsos consumistas ( no meu caso chocolate, no caso do Clé cerveja) e nos presentear de vez em quando mas sem abusar, e asssim vai. Nossa preocupação agora é o frio chegando, já é outono e o clima por aqui já está mudando. Queremos ver se damos uma adiantada na pedalada pelas próximas centenas de quilômetros.

2 comentários:

lina fre disse...

Oi Dois!!!
Que bom ler sobre vocês
a existência de pessoas como vcs já causa uma repercussão energética bem massa...
mas ei, nós que lemos também estamos aprendendo, então qnd vcs descobrirem ou inventarem novas maneiras legais de lidar com isso e aquilo, expliquem aqui no sítio um pouquinhO! a pira das garrafas, por ex., e a do papel higiênico.

=]
Bom, mas estou mesmo aprendendo muito com tudo isso. e começando a ter minhas próprias piras.

Boa ida pra vcsss
BEIJOCASSSSSSSS
(ps.: o frio aqui ta chegandim!!)

fernanda faísca gurgel da silva sauro.

Mada. disse...

Enfim estou em casa, depois de uma semana em Goiânia. Estava morta de saudades do frio, não aguentava mais o CALOR de lá. Quando chequei , fui "presenteada" com a garoa e o friozinho de outono.
Hj. almoçamos na tia Leonir.
Estou apaixonada pelas fotos, aquela da praia é uma preciosidade.DEUS CRIOU TUDO MUITO PERFEITO!!!
Nem vou dizer que estou com saudades, pois ficaria repetitivo...
AMO MUITO VOCÊ !AMO MUITO VOCÊ !
AMO MUITO VOCÊ !
AMO MUITO VOCÊ !
Bjs. Mada