04/05/2007


Puxa gente, como é bom "ouvir" tantas vozes amigas nos dando força e coragem nessa nossa jornada!! Assim o PedalEco ganha força!! É uma pena que não possamos compartilhar com mais detalhes cada momento que vivemos por aqui, na verdade seria realmente impossível, como o Victor disse nos comentários, "... a experiência é estonteante" e é mesmo. Tanto que às vezes nem nos dá tempo de assimilar tanta informação e acontecimentos de uma só vez. Nos falta uma pausa para analisar os fatos ocorridos e pausa por aqui está em falta.

Por hoje antes de começar a contar as coisas ocorridas vou antes responder alguns dos comentários deixados pela galera.

Fer. Plantinhas medicinais para plantar com as crianças: boldo, alecrim, manjericão, menta, hortelã, na verdade qualquer uma, plantas medicinais e ervinhas são muito fáceis de pegar e extremamente prazeosas de cuidar, vingam muito bem e é tido um retorno rápido. Árvores eu sugiro a araucária que apesar de ser de crescimente lento é muito legal de plantar com as crianças por ser simbolo da nossa mata nativa ou o guapuruvu que é de crescimento rapido. Também descobri que o caqui é ótimo, você pode fazer um lanchinho com as crianças e depois plantar as semnetes elas vêem facinho.

Nahyr, pensei todos os dias quase em vocês com o EREB espero que tenha dado tudo certo por aí!! E acredito que tenha dado mesmo, vi pelo grupo de email que a galera estava realmente empenhada, Ah! e Parabéns pelo cartaz ficou lindão mesmo.

Luciele!! Que notícia ómitma me deste a respeito da areazinha, que bom que nosso trabalho tenha sido divulgado, mas faz um favor? Me manda uma foto para eu ver como ela está? Estou curiosa para ver o resultado do laguinho!!

Lúcia!! Que surpresa agradável ver um recado seu! Ficamos muito emocionado de você ter lembrado da gente, nosso encontro foi tão rápido e promete dar frutos, me dê seu email que eu te mando materiais sobre a espiral de ervas e o banheiro seco com prazer, e que pena termos já passado de Tubarão, senão com certeza faríamos uma visita na sua terrinha e daríamos a maior força para deixá-la mais bonita.

Para toda a galera do bal. Pinhal!! Manuele, Maria, Bira, Gladis, Ju, Beto, Mara, e mais quem cruzou nosso caminho por aí. Valeu mesmo pela força que vocês nos deram, foram de máxima importância na nossa pedalada!!

Lídia!! Tenha paciência, virão mais vídeos por aí!!

Paulina!! Fico tão feliz de saber que você está nos acompanhando, você sabe que gosto muito de você, e sabe que a gente quase se encontrou?? Dia 01/04 estávamos no Farol de Santa Marta!!! Acredita?? Se soubéssemos teríamos marcado uma forma de nos encontrar.

Brunão!! Ah Bom!! Pensei que vcê tinha esquecido da gente hehehe. Valeu pelo alô.

Rodark, Misael, Victor, valeu também pela força, o Ramones fica super feliz quando lê uma mensagem de vocês.

Pai e Mãe, sempre presentes, valeu pela força!! `

Pri!!!! Que bom ler algo seu, sabe que alguns dias antes havia pensado em ti?? Como estás?? Acredito que bem!!

Pronto. Desculpa se me excedi, mas é que é tão importante para gente saber que temos amigos nos acompanhando que precisei agradecer um por um, (para quase todos é claro)

Hunm! Torres né? Pois bem ficamos lá até no domingo, deu tempo de lavar as roupas e ter a certeza que não tava bom para ganhar uma grana. O parque do balonismo estava cheio de gente mas não podíamos comercializar nada lá dentro. Saímos domindo bem cedinho, pedalamos uns 800m e o eixo da carretinha da Lara quebrou, bem, essa foi a primeira de uma séries de desaventuras que nos ocorreram essa semana. Uma urucubaca braba mesmo!!!

O eixo quebrou e eu tive que ir acordar o bicicleteiro, coitado, com uma cara de quem relmente tinha sido acordado mas com uma boa vontade tremenda nos vendou o tal do eixo. Trocamos ele e tocamos em frente, resolvemos voltar a pedalar pelo mar, nossa experiência pela "Rodovia da morte" nos deixou clara a intenção de evitá-la o máximo possível. Mas a maré de azr estava começando, antes ainda de atrevessar a ponte que faz divisa com Santa Catarina o pneu do Clé desengatou e tivemos que parar de novo para conserto.

Quando finalmente conseguimos alcançar a praia já batia uma leve brisa contra, o que indicava que a tarde a pedalada ia ser braba. Mas tocamos em frente, por volta do meio dia chegamos no Bal. Gaiovota, onde conseguimos um prato de comida de um restaurante de beira de praia. Voltamos a pedalar, mas dáí o vente já estava MUITO forte e a pedalada a tarde não rendeu muito, chegamos apenas até o próximo Bal. Arroio Silva, onde conseguimos dormir de graça num camping (Valeu Seu Mauro) e também tomar um banho (depois de ficar quase 4 dias completos sem)!

Acordamos cedíssimo e antes do Sol nascer partimos com o objetivo de chegar no farol de Santa Marta, para ver se pegávamos o fim do feriadão e fazíamos uma graninha por lá. Mas parece que as nossas bicicletas não estavam de acordo com os nossos planos. Pedalamos até a balsa para atravessar um arroio, logo na saída o pneu do Clé desengatou de novo, paramos arrumamos e tocamos em frente, menos de 1Km pedalado, o pneu de trás do Clé fura e novamente, tempo perdido, câmara trocada e tocamos em frente. sempre dizendo, vamos que ainda dá tempo!!!




Mas que nada, pedalamos mais um pouco e precisávamos chegar numa ponte pensil e atravessar outro arroio e antes de chegar na ponte, novamente, o mesmo pneu do Clé furou. Descobrimos o problema, aquele mesmo, o aro esta comendo os nossos pneus, a câmara fica exposta e daí qualquer coisinha fura. Decepção total, já com esse estamos contando 4 pneus novos estragados!! Mas não dá nada, tivemos a brilhante idéia de trocar o pneu bom da carretinha da Lara pelo pneu ruim do Clé, com isso descobrimos algo que nos tirou o chão, outro eixo quebrado na carretinha da Lara.


Bem se vê que daí ficou impossível chegar ao farosl naqule dia, tive que voltar uns 2Km atrás de peças para bike. Puxa, desanimador, mas tocamos em frente, na hora de atravessar a ponte pensil, vamos tirar uma foto é claro, mas qual o que. O cartucho de memória assim de repende estragou.

Impossível ficar animado né? Na hora que finalmente conseguimos alcançar a praia para tocar direto para o Farol o vento contra já batia fortíssimo, isso que tínhamos acordado às 4 da matina para pedalar o máximo de tempo sem vente, mas o destino (mais dizer as bikes) não quis assim. Acabou que paramos à uns 25Km do farol, Bal. Arroio Corrente, onde dormimos no pátio de um restaurante abandonado. Ah! Esqueci de contar que fio nesse dia que conhecemo a Lúcia, uma senhora que nos parou e perguntou se a cachorrinha (a Lara) não ganhava carona, falamos rapinho dei o endereço do blog para ela e nem imaginei que ela iria entrar e se interessar, vejam só que legal!!!

No outro dia acordamos não muito cedo e em menos de 2h estávamos no Farol, mas para que? Todo o movimento de feriado havia acabado e tudo estava vazio. Mas dá nada o farol é lindo assim mesmo. A água transparente de dar gosto, uma delícia, lá resolvemos passar o dia todo de papo para o ar. Conseguimos uns peixes que fizemos com arroz, tomamos banho de mar e de sol. Curtimos um pôr do Sol lindíssimo (pena que não tem foto) e dormimos tranquilos.

O outro dia (quarta) amanheceu estranho, com um ventinho sul batendo que nos deixou desconfiados. Mas queríamos chegar em Laguna, cidade grande, por a vida em ordem, lavar as roupas, as bicicletas, tirar extratos, fazer contas etc... A pedalada até lá foi custosa, 20 Km de estrada de chão, cheia daquelas costeletas de vaca que acabam com as costas de qualquer um. No meio do caminho, só para a gente não ficar mal acostumados o pneu do Clé furou de novo, mas chegamos são e salvos em Laguna.

Lá pretendíamos ficar um tempo, nos pôr em ordem, desenvolver um projeto com a prefeitura e para isso precisávamos de um lugar para dormir, e procuramos, falamos com umas 15 pessoas diferentes para finalmente levar um não. Fazer o que? Dormimos no quintal de um postinho de saúde e de manhã cedinho partimos para Imbituba.

De Laguna para Imbituba são uns 40km que resolvemos fazer pela rodovia, o litoral nesse trecho fica muito recortado e desconfiamos que não iria ter como seguir pela praia, mas a pedalada foi tranquila, as bici não deram nenhum trabalho e esse trecho está sendo duplicado, sendo que bons pedaços estão prontos mas não estão ativados, resultado? Pedalamos tranquilos por um asfalto novinho, lisinho e só nosso, hehehe.

Chegando em Imbituba, procuramos o Posto de Bombeiros e depois a Brgada de polícia atrás de pousada, lá eles disseram que era provavel conseguirmos, sói que só a tarde. Resolvemos esperar, enquanto isso encontramos um cara que trabalha numa rádio AM aqui de Santa catarina, que se interessou pela nossa história e resolveu fazer uma entrevista, pronto, em menos de meia hora já estávamos no ar, divertidíssimo. Depois ainda ele tirou uma foto e disse que íamos sair no jornal...

Enquanto esperávamos o Capitão Livramento, responsável por dizer se sim ou não da nossa estadia na Brigada, fomos agraciados pela polícia por um riqusimo prato de comida, esperamos mais um pouco e finalmente fomos atendido pelo capitão, que nos recebeu muito bem e disse que poderíamos ficar pelo menos duas noites na brigada, enquanto procurávamos com mais calma um lugar mais apropriado para nós, tendo em vista que lá é o ambiente de trabalho dos policias. Nos instalamos, tomamos um banho e saímos em busca das secretarias e ONG´s da cidade para ver se rolava um projeto com as comunidades e também um lugar para ficar.

Fomos em dois lugares, primeira na Assistencia Social que se interessou muito pelo projto e segundo numa ONG que também gostou muito da idéia e até já marcou com a gente para segunda-feira irmos na reunião deles. Mas fica um dilema, onde iremos dormir?

Lá na ONG tivemos a oportunidade de ler os comentários do Blog, o que contribui em muito para reavivar nossos ânimos, mais uma vez, VALEU MEEEESMO!!! Na volta para nosso novo "lar", a brigada da polícia, passamos numa loja de máquina fotográfica para ver o que tinha acontecido com o cartão de memória e tão de repente como ele tinha parado de funcionar voltou a funcionar, para nossa felicidade. Ainda depois nos presentiamos com uma cervjinha gelada enquanto púnhamos os acontecimentos da semana em ordem na nossa cabeça.

Dormimos tranquilos em colchões confortáveis e caminhas sequinhas. Hoje (sexta) acordamos, tomamos café da manhã, demos uma geral nas bicicletas, coitadinhas depois de tanto tmpo pedalando na areia estavam realmente precisando, almoçamos e saímos novamente atrás da asistencia social atrás de uma resposta para pouso, não tinham a resposta e enquanto esperamos, resolvemos dar um pulinho aqui na Biblioteca Pública onde pudemos usar um computador para postar as novidades.

Estamos esperando que aqui em Imbituba role algum prjetinho, está nos parecendo bem promissor. As pessoas aqui se interessarma bastante, e só de ontem para hoje já saímos em dois veículos de comunicação (rádio e jornal).

Agaurdem mais notícias, as teremos em breve, espero!!!

14 comentários:

Anônimo disse...

Ola Cleverson e Deborah,

Quando chegarem em floripa troquem os aros e pneus das bicicletas, e deixem comigo a despesa.

Ok?

Pai.

Rodrigo Moreira disse...

"Pedalar é preciso, viver não" parafraseando o Fê (Fernando Pessoa). Muita força pra vcs. São os votos dos amigos do Cassino. Também estamos 'pedalando' com vcs.
Estamos com saudades.
Aqui as coisas continuam no ritmo cassineiro. Força, força e mais força. Um abraço apertado dos amigos do Cassino.

Mada disse...

Hoje fui em uma reunião da Igreja e várias irmãs/amigas perguntaram por vocês. Elas estasm na torcida.
Deborah, um dos irmãos da Suzane do pastor Hans e da Ursula ) morreu num assidente de moto esta semana. Chato, não?....
Hoje o Sam vai8 fazer uma sonterapia, vamos dormir lá.
estamos com saudades e amamos vcs.

Mada

Anônimo disse...

E aí trio maravilha!! Fico feliz em saber que estão bem. Vi o noticiário de Pinhal, ficou linda a espiral. Lendo o jornal de 05/05 lembrei de vocês, pena que a notícia é triste, copiei abaixo.
Permabeijos, Débora do bioconstrução - IPEP.

03 de maio de 2007 - 18:11
Morte de abelhas ameaça a agricultura dos EUA

Diversas frutas e legumes que dependem destes insetos para polinização
poderão desaparecer, caso as abelhas continuem morrendo
Associated Press

BELTSVILLE, EUA - Um misterioso assassino de abelhas continua devastando as colméias dos Estados Unidos e reduzindo abruptamente a população desses animais. Se ninguém (ou nada) acabar com isso, as conseqüências da matança poderão se refletir na alimentação diária do norte-americano.

Abelhas não fazem apenas mel; elas polinizam mais de 9 das frutas e verduras mais saborosas e nutritivas dos EUA, entre elas: maçã, noz, abacate, cereja, morango, soja e brócoli.

Na verdade, cerca de um terço da dieta humana provém de plantas polinizadas por insetos, e as abelhas são responsáveis por 80% dessa polinização, segundo o Ministério da Agricultura dos Estados Unidos.

Até mesmo o gado, que come alfafa, depende das abelhas. Então, se elas desaparecerem mais ainda, os americanos poderão acabar tendo como alimento apenas "grãos e água", segundo afirmou Kevin Hackett, líder do programa nacional do Ministério da Agricultura dos EUA para abelhas e polinização. "Este é a maior ameaça para nosso suprimento de alimentos", disse Hackett.

Mesmo que nem todos os cientistas prevejam uma crise alimentícia, visto que mortes em larga escala de abelhas já ocorreram no passado, esta, particularmente, se mostra alarmante e confusa.

Apicultores norte-americanos perderam nos últimos meses um quarto de suas colônias - ou cerca de cinco vezes mais do que as mortes naturais que ocorrem durante o inverno - devido ao que os cientistas chamam de Desordem de Colapso Colonial (CCD, em inglês).

O problema começou em novembro e parece ter se espalhado para 27 Estados americanos. Casos semelhantes aconteceram no Brasil, Canadá e partes da Europa.

Cientistas se esforçam para descobrir o que está matando os insetos, e resultados preliminares de um importante estudo divulgados nesta semana apontam como causadores da tragédia algum tipo de parasita ou doença.

Mesmo antes desta desordem ocorrer, as abelhas já estavam em apuros. O número de indivíduos estava diminuindo constantemente, pois seus genes não são equipados para combater venenos e doenças.

Especialistas brasileiros e europeus se juntaram numa investigação no laboratório de estudos de abelhas do Ministério da Agricultura dos EUA, localizado em Washington. Nas últimas semanas o gabinete do vice-presidente, Dick Cheney, foi informado sobre o problema.

"Essa crise ameaça destruir produções de plantas que dependem da polinização de abelhas", disse o secretário da Agricultura Mike Johanns em um comunicado.

Um estudo do Congresso informou que as abelhas contribuem indiretamente com cerca de US$ 15 bilhões por ano em alimentos devido às suas polinizações.

Suspeitos
Segundo o maior especialista em abelhas do Ministério da Agricultura, Jeff Pettis, os suspeitos pela diminuição da população de abelhas nos EUA são um parasita, um vírus desconhecido, algum tipo de bactéria, pesticidas, ou uma combinação entre duas destas quatro últimas, em que uma enfraquece o inseto e a outra o mata.

Mada disse...

Hoje eu acordei com muitas saudades de vcs.Ontem , o pai tb. eu mio deprimido pela saudades.... MAS o Espírito Santo nos dá força e renova nossos vidas.
bjs..... bjs....
Mada

Anônimo disse...

Cleverson e Deborah

Nós do Mato Grosso do Sul estamos acompanhando sua jornada, e com muito orgulho de vcs, é preciso muita coragem, determinação, força e Fé para fazer o que estão fazendo...

Um super bjo...

Familia Pizzato da Cunha

Anônimo disse...

Inspirador! Demais!
Só os perrengues com as bici que devem realmente desanimar...

eim, vcs estarão aqui no PR pro ENCA Guaraqueçaba em julho, né??
O EREB estava demais mesmo, aprendi um monte, mesmo só aproveitando efetivamente uma das três oportunidades (entre vivências, oficinas e discussões).
o pessoal do GEAE mais alguns erebianos construímos uma mandala agroecológica ali do lado da biblio. e plantamos várias coisas! agora vai de nós da ufpr cuidadar da nossa criação, assim como o temos feito com a areazinha.
aprendi um monte e quem estava lá também. e é por isso que eu quero ir pro ENCA, aprender mais!!!

Bom, beijos e muita força pra vcs!
Fer

Lu Patinadora disse...

Ramones e Débora,

Tenho olhado algumas vezes o blog. Fico muito feliz por vocês. Tenho certeza que os desafios e obstáculos serão superados, um a um. Estou aguardando a visita de vocês. Tenho certeza que esse dia chegará.
Meus amigos queridos, eu gostaria de fazer uma sugestão. Quando chegarem nos lugares, procurem contatos com o MST, pois tenho certeza que vocês poderão apresentar o projeto de vocês nos acampamentos e assentamentos das regiões. Dinheiro dificilmente vocês irão encontrar, mas com certeza comida, lugar pra dormir, tomar banho e muita conversa boa vocês terão muuuuito!
Tenho contatos em quase todos os estados, se quiserem mandem mail pra mim, tá?

bjo no coração e muito boa sorte!!!

jake disse...

Minha gente..to abismada com tanta coisa que já fizeram e nem sairam do sul ainda..hahaha
Meus amigos...to mandando o projeto de vcs pra todos meus contatos...e olha só...esse ano teremos inúmeras oficinas na jornada de agroecologia em julho, e até o pessoal de Bagé/Viamão estarão por lá...acho q teremos espaços para exposição de fotos, então vou tentar organizar um espaço pra divulgar o trabalho de vcs..pois teremos participantes do brasil inteiro e de alguns países tb...se tiverem fotos mais interessantes (acho difícil) que essas do blog sobre permacultura e meio ambiente em geral...com o pessoal botando a mão na massa manda pra mim que vou dar um jeito de montar um mural....
Ahhh e assim como a Lu...posso ajudar fazendo contato com o pessoal do MST e tenho certeza vão recebê-los com muito prazer...para ministrarem os cursos e passar o dia com eles....beijosssss e muito boa sorte....
Vou aparecer mais vezes aqui...to chocada gente...isso aí..sinto muito orgulho de vcs...quem dera existissem mais pessoas com esse espírito aventureiro e cheios de boa intenção...
Toda sorte do mundo pra vcs... se precisarem de alguma coisa...gritemmmmmmm
Beijosssss

Misael disse...

Caraca, vazaram do Rio Grande e nem percebi... Já estão em Imbituba... De Torres pra cima já tenho uma idéia do que terão. Ow, não pararam em Morro dos Conventos por que? Em Imbituba tem muita estrutura, tomara que vocês achem, como nós, uma festinha de igreja que faz um cupim assado de tirar o chapéu. Agora que a viagem de vocês deu um boom, acho que ela ficará mais vagarosa, visto que estão na parte mais bonita do Sul do Brasil, na minha opinião, é claro! Sucesso mais uma vez! Estamos na torcida! E quando chegarem à Floripa, acho que não vou resistir e descerei pra dar um oi... :)

Abraços Deborah!! Abraços Mano Véio Ramonão!!

Misael disse...

Qual o tipo de memória (cartão) que vocês usam na máquina fotográfica?

Anônimo disse...

Clé e Dé, seguinte, sempre que posso venho dar uma olhada aki pra saber como vocês estão. Estou torcendo muito por vocês, dedicando minhas orações para que Deus os acompanhem nessa jornada. Mil beijos. Estou com saudades. Marcela

Anônimo disse...

MAravilha, guerreiros!!!
Paz e Bem!
Apesar das desaventuras da bicicleta (haja pneu!!!), a males que vem para o bem. Quem sabe essas tormentas não foram necessárias por algum motivo que ainda desconhecem?
"Quando não se tem nada a perder, fica-se corajoso. Só somos tímidos quando há ainda alguma coisa a que nos apegamos." (Segundo Círculo do Poder)
Forte abraço

Victor Augustus

Anônimo disse...

Da-lhe Ramones e Débora, cara que pira este viagem. Fazia tempo que não acessava o Blog mas hoje cheguei mais cedo no trabalho e deu pra dar uma olhada na internet. Cara ta muito frio aqui em Curitiba, onde eu trabalho da pra ver toda a Serra e ela esta limpinha. Um abraço pra vc's e Boa Sorte.

João Borges (Cartográfica)